sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Jantar de Beneficiência repleto de boa disposição

jantar
Adotar uma alimentação e um estilo de vida saudável é o melhor remédio para evitar contrair a diabetes.
E nesse sentido a Associação de Diabéticos do Distrito de Bragança vai organizar amanhã à noite um jantar de beneficência, onde se espera muita música e boa disposição.
Um evento que visa a sustentabilidade da entidade com sede em Macedo de Cavaleiros e o bem-estar do doente diabético.
Ter um estilo de vida saudável a fim de evitar contrair a diabetes é a mensagem do jantar.
A presidente da Associação de Diabéticos do Distrito de Bragança, Margarida Pires recorre à expressão “rir é o melhor remédio” para dizer que é a boa disposição é fundamental para a qualidade de vida do doente.
Cristiana Pereira faz parte do cartaz musical e estão inscritos cerca de 200 pessoas.
E porque nunca é demais relembrar os fatores de risco da diabetes.
São eles, o sedentarismo, o tabaco, o álcool, uma alimentação desregrada, o excesso de peso e a hipertensão. 
 
Escrito por Onda Livre
Retirado de www.ondalivrefm.net  

Junta inaugura centro de convívio

» A Freguesia das Arcas, no concelho de Macedo de Cavaleiros, inaugurou a nova sede da Junta e o centro de convívio da aldeia. foto
Segundo o autarca local, Artur Pereira, estes equipamentos vão ser úteis para a realização da Rural Arcas, pois disponibilizam casas de banho públicas e um espaço coberto para acolher as festividades.
O investimento ronda os 150 mil euros, suportados pela Câmara Municipal de Macedo de Cavaleiros e Junta de Freguesia, com o contributo da população.

Retirado de www.jornalnordeste.com

Rural Castanea - Vinhais



Retirado de www.cm-vinhais.pt

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Deficientes têm de fazer dezenas de quilómetros para votar no Distrito de Bragança

Os eleitores do Distrito de Bragança que necessitem de acompanhante para votar no domingo vão ter de se deslocar dezenas de quilómetros para conseguirem um atestado médico que o comprove, alertou hoje o presidente da Câmara de Vinhais.

Américo Pereira disse à agência Lusa que a Autoridade Regional de Saúde do Norte decidiu que nestas autárquicas só estarão disponíveis, durante o período em que funcionam as urnas, em quatro dos 13 concelhos da região médicos para passagem de atestados a cidadão portador de deficiência que implique o acompanhamento por terceira pessoa para exercer o direito de voto.
Contactado pela Lusa, o delegado distrital de saúde, Victor Lourenço confirmou o número de médicos, mas estranhou que "os autarcas não tenham dado conta que já nas últimas eleições europeias e legislativas" aconteceu o mesmo e não houve protestos.

Agência Lusa
Retirado de www.noticias.sapo.pt

Onde estão os 200 milhões destinados ao Túnel do Marão?

A conclusão da Auto-estrada do Marão está parada há mais de dois anos. O presidente do Sindicato da Construção de Portugal diz que nada justifica a interrupção de trabalhos “que provocam milhões de euros de prejuízo ao Estado”.

O Sindicato da Construção de Portugal quer saber do Governo o que é feito dos 200 milhões de euros de fundos comunitários anunciados para a conclusão da auto-estrada do Marão.

Em conferência de imprensa, em frente à Câmara de Vila Real, Albano Ribeiro, evocou uma audiência que manteve com o secretário de Estado da Obras Públicas, em Outubro de 2012, em que o governante terá anunciado essa verba para assegurar a conclusão das obras na auto-estrada, onde se insere o túnel rodoviário.

Passaram quase dois anos e o presidente do sindicato exige saber onde está o dinheiro. "Estes 200 milhões de euros, possivelmente, foram desviados, para dizerem que o défice do Estado é menor", acusa Albano Ribeiro, para quem "não há nada que justifique a continuidade das obras paradas, que provocam milhões de euros de prejuízo ao Estado".

No passado mês de  Junho, o Estado rescindiu o contrato de concessão do Túnel do Marão, invocando justa causa, fundada no incumprimento por parte da concessionária Auto-Estrada do Marão. Entretanto, a concessão da auto-estrada passou para as mãos da Estradas de Portugal.

Em visita à auto-estrada, em Agosto, António Ramalho, presidente da EP, afirmou que seriam precisos mais dois anos e 150 milhões de euros para concluir a obra. Segundo explicou, para os trabalhos avançarem, era necessário abrir um novo concurso público internacional, o que demorará pelo menos um ano.

A auto-estrada do Marão, que inclui um túnel rodoviário de 5,6 quilómetros e que vai ligar Vila Real a Amarante, vai juntar-se à auto-estrada transmontana, entre Vila Real e Bragança, que permitirá reduzir a sinistralidade em 23%. A primeira previsão para a conclusão da obra apontava para o início de 2012.

Este projecto tinha um custo inicial estimado de 350 milhões de euros. Em pico de obra, chegou a dar emprego a 1.400 trabalhadores e a envolver cerca de 90 pequenas empresas.

Escrito por Olímpia Mairos
Retirado de www.rr.sapo.pt

Diálogo entre a cultura e a fé















































Retirado de www.noticiasdonordeste.com

Vai ser arte!

Parque Natural Regional do Vale do Tua está oficialmente criado

O Parque Natural Regional do Vale do Tua está oficialmente criado com a publicação em Diário da República do regulamento que rege a área protegida vocacionada para o desenvolvimento económico, anunciaram hoje os responsáveis.



A Agência de Desenvolvimento Regional do Vale do Tua, entidade responsável pelo processo, divulgou hoje que o regulamento do parque foi publicado em Diário da República a 24 de setembro, dando por concluído o processo de criação depois de um período de discussão pública.

Este parque surge no âmbito das contrapartidas pela construção da barragem de Foz Tua, em Trás-os-Montes, e distingue-se das restantes áreas classificadas em Portugal. O seu propósito é delimitar geograficamente a zona de intervenção para aplicação dos fundos que a barragem vai disponibilizar.

Retirado de www.noticiasdonordeste.com

“A Sabedoria do Povo Transmontano” narrada em provérbios


Através de algumas centenas de provérbios, o cónego Adérito Augusto Custódio, da Diocese de Bragança-Miranda, dá a conhecer uma outra forma de ver “A Sabedoria do Povo Transmontano”. O livro foi apresentado a passada quinta-feira na Fundação os Nossos Livros na presença de muitos amigos e admiradores do autor.
A recolha foi realizada há muitos anos em conjunto com alunos do antigo liceu de Bragança, actual Escola Secundária Emídio Garcia, e da Escola Secundária Miguel Torga. “Os jovens fizeram um roteiro muito interessante e foram a algumas aldeias. Tudo começou porque não sabiam o que era um provérbio ”, explicou o cónego.
Os provérbios são tidos pelo povo quase como verdades absolutas. Todavia, para o cónego Adérito só podem ser verdadeiramente provérbios “se tivermos amor à palavra e compreensão da bondade de Deus que nos ajuda a viver a vida”, explicou à margem da cerimónia de apresentação da coletânea de provérbios. A recolha demorou cerca de 15 anos.

Escrito por Gloria Lopes
Retirado de www.mdb.pt  

Ciência para miúdos e graúdos

ciencia.jpg
Cerca de 300 idosos, crianças e pessoas com deficiência participaram na Maratona Intergeracional da Ciência, que decorreu em Bragança. Durante dois dias, miúdos e graúdos trocaram experiências num ambiente de partilha de conhecimentos.  A coordenadora do Centro de Ciência Viva de Bragança diz que foram pensadas experiências para todas as idades. “Estamos a fazer sete experiências diferentes. Temos uma bancada dedicada totalmente à cozinha, onde fazemos o pão e bolos, temos a ciência em minutos sobre fenómenos físicos e temos bancadas com cromatografia, fazer licores e experiências de areias movediças”, enumera Ivone Fachada. Os mais pequenos aprenderam a fazer coisas novas e no final ainda puderam provar o resultado de algumas experiências. “Aprendi a fazer pão e bolos e também aprendi a rebentar balões com pesos”, conta Tomás Pavão, de 5 anos. E os idosos também tiveram oportunidade de participar em novas experiências. “Gosto muito de ver estas coisas. Antigamente fazíamos as coisas pela nossa cabeça e de acordo com a nossa experiência. Aqui gostei de fazer licor de figueira”, conta Maria Machado, de 81 anos. Esta iniciativa foi promovida pela Santa Casa da Misericórdia, no âmbito do projecto “Envelhecer com qualidade”. Tânia Soares, uma das responsáveis pelo projecto, diz que estas actividades são fundamentais para os idosos.“ É uma forma diferente de fazer ciência, vindo para a rua e divertindo-se. O mais importante disto tudo é o convívio e a diversão”, acrescenta a responsável.
A Maratona Intergeracional da Ciência contou com a participação de idosos, crianças e pessoas portadoras de deficiência de sete instituições do distrito de Bragança.
Escrito por Brigantia
Retirado de www.brigantia.pt

Mais fácil pagar estacionamento em Bragança

parquimetro.jpg
O pagamento do estacionamento na cidade de Bragança é agora mais fácil.Desde ontem que está em funcionamento um sistema que permite pagar através do telemóvel.Trata-se de uma aplicação para smartphones desenvolvida pela Portugal Telecom.  O engenheiro de software da PT explica que “a aplicação permite efectuar o estacionamento de diversas formas. Uma delas é o estacionamento sem fim definido em que se inicia o estacionamento sem saber quando é que vai terminar e depois quando se regressa à viatura pára-se o estacionamento pagando o valor do tempo que a viatura esteve estacionado, se houver a noção do tempo que se vai estar estacionado, indicam-se os minutos ou os euros que se quer gastar”. Ricardo Melo acrescenta que “o pagamento do estacionamento pode ser feito de uma forma pré-paga através de uma carteira virtual que pode ser carregada através de cartão de crédito ou directamente da conta bancária através do serviço MB Phone”.A aplicação permite também emitir alertas ao condutor de que o tempo de estacionamento está a terminar e fazer o prolongamento.Para quem não tem acesso à internet também pode pagar o estacionamento através de sms.Para o presidente da câmara de Bragança este sistema vem facilitar a vida aos utilizadores.“Temos consciência que nesta fase inicial haverá uma utilização relativamente baixa, mas o futuro vai neste sentido e por isso temos de nos familiarizar com esta inovação que é colocada ao serviço dos cidadãos”, refere Jorge Nunes.Com a implementação deste novo sistema, muda também o modo de fiscalização.Os elementos da PSP de Bragança já receberam dois equipamentos que lhes permite aceder ao registo de pagamentos.O comandante salienta que os agentes terão agora de se familiarizar com o sistema.“É normal que nos primeiros dias haja alguma dificuldade em operacionalizar a fiscalização pois estamos a lidar com novos métodos e tecnologia mas vamos ter que nos adaptar”, assegura Amílcar Correia.Este é um projecto-piloto da PT que está em implementação há pouco mais de meio ano.O director comercial elogia a autarquia brigantina por ter aderido.“Demonstra a capacidade de pioneirismo da câmara de Bragança que aderiu a esta fase piloto que sendo que neste momento temos sete municípios em funcionamento”, salienta Mário Ceborro.
Os parques de estacionamento subterrâneos não estão contemplados neste sistema que vai abranger 455 lugares em toda a cidade.
Escrito por Brigantia
Retirado de www.brigantia.pt

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Não sei que fazer

A voragem dos dias devora-me os sonhos por realizar.
Tenho medo de não sonhar, da crueza real e concreta das horas que, inexoravelmente, passam, teimosas como as ondas do mar que não desistem do seu vai e vem constante.
Sereia aprisionada pela inexistência de duas pernas que lhe permitam caminhar pela areia fina e quente da praia, amante do mar que a acaricia em doces remansos banhados de luar.
Romântico.
Só falta a palmeira solitária, refletida no mar azul pejado de pequenos peixes mordiscadores de pés.
Decididamente, borbulham-me no cérebro ideias tantas que não consigo pescar nenhuma suficientemente concentrada para se tornar realidade.
A chuva anuncia-se e eu não estou imersa em romance paradisíaco.
Estou rumorejante como o vento nas árvores quase outonais, ainda vestidas de verde, salpicadas, aqui e ali, de folhas amarelas, poucas, uma ou outra vermelha, castanhas ainda não... afinal, o outono mal se instalou.
Ainda não desfez as malas e veste camisa de verão. Boceja à janela do quarto e respira, lentamente, a quentura inabitual.
Que estranhas deambulações faz um cérebro desocupado!

Mara Cepeda

Exposição de elementos em miniatura

Localização: Museu Ibérico da Máscara e do Traje | Cidadela do Castelo de Bragança
 
x

Exposição composta por elementos em miniatura cuja temática versa a componente rural, onde se procura retratar, com singularidade e autenticidade, os utensílios agrícolas ou outros materiais de natureza rural das comunidades locais onde os “fazeres antigos” são o mote da tradição do ciclo festivo associado às máscaras.
Aguardamos pela sua visita!
Data: 03 de setembro a 31 de outubro
Promotor: Câmara Municipal de Bragança
Localização: Museu Ibérico da Máscara e do Traje | Cidadela do Castelo de Bragança
Horário: 09h00-13h30 | 15h00-18h00

Retirado de www.cm-braganca.pt

Miranda do Douro: Jovens europeus trocam experiências culturais e sociais em Atenor

Um grupo de 27 jovens provenientes cinco países europeus está no planalto mirandês para conhecer a cultura, a língua mirandesa, a música, os produtos endógenos e o potencial económico da região.   
"O que fazemos é dar a conhecer aos jovens um pouco da nossa cultura e tentar que no futuro os participantes neste intercâmbio sejam, na Europa, um canal de divulgação das potencialidades da região do planalto mirandês", avançou o presidente da Junta de Freguesia de Atenor (JFA), Moisés Esteves.
O grupo inclui jovens de ambos os sexos com idades compreendidas entre os 17 e os 30 anos, que são provenientes de países como a Macedónia, Estónia, Ucrânia e Checoslováquia e Espanha, alojados nas aldeias de Teixeira e Atenor, no concelho de Miranda do Douro.
A ideia surge através da associação Experimentáculo, com sede em Setúbal, e da JFA que procuram mostrar aos jovens como é possível "fixarem-se no meio rural com qualidade de vida".
"Já trabalhamos há alguns anos com programa 'Juventude em Ação da Comissão Europeia' e andávamos à procura de aldeia do interior que fosse dinâmica e com jovens. Após uma busca, encontrámos Atenor, uma aldeia que tem bastantes jovens, que vieram de outros pontos dos país para aqui se fixarem", frisou Helena Reis, da Experimentáculo.
Para hoje, está agendado um pequeno mercado onde cada um dos visitantes vai poder mostrar um pouco daquilo que se faz nos seus países de origem.
"É reconhecido por todos o que aldeia de Atenor tem feito para a fixação de jovens e para atrair visitantes nacionais. Agora, pretendemos atrair pessoas vindas um pouco de toda a Europa", disse Moisés Esteves.
Num futuro próximo, os jovens do planalto mirandês vão deslocar-se aos países que agora visitaram as aldeias de Atenor e Teixeira, para assim fomentarem "uma troca de experiências no espaço europeu".
"Uma das ideias passa igualmente por colocar produtos regionais produzidos na nossa aldeia nos mercados europeus", frisou.

Retirado de www.rba.pt

IPB matricula 1359 novos alunos na primeira fase

ipb_novo.gif
Na primeira fase de matrículas, o Instituto Politécnico de Bragança registou 1359 novos alunos. Do concurso nacional de acesso entraram, apenas, 325 novos estudantes, os restantes, 1034, ingressaram através dos concursos locais promovidos pela própria instituição.  O presidente do IPB, Sobrinho Teixeira, diz que este é o resultado da promoção que o instituto tem vindo a fazer fora da região.“Só dos concursos locais ultrapassámos um milhar de alunos. São concursos ao nível dos cursos de mestrado, detentores de especialização tecnológica e maiores de 23, são os chamados novos públicos, sobre os quais o IPB está a ter uma grande capacidade de recrutamento. E esse recrutamento não está a ser realizado só na região, mas estamos a conseguir trazer alunos do litoral para o interior. Grande parte deste milhar de alunos são de fora da região”, garante o presidente do IPB.      Sobrinho Teixeira espera agora um aumento do número de alunos na segunda fase de candidaturas.“Vamos agora ter a segunda fase, quer do concurso nacional, quer dos concursos locais. Do concurso nacional não estou muito esperançado. Eu acho que com a política que está a ser seguida irá determinar novamente uma redução global do número de alunos a entrar nas instituições de ensino, nomeadamente nas áreas que o país mais necessita, como é o caso das engenharias”, afirma Sobrinho Teixeira.
Na primeira fase de matrículas o IPB já preencheu 1359 vagas das cerca de 1800 que foram inicialmente abertas.
Escrito por Brigantia
Retirado de www.brigantia.pt

Incêndio destrói armazém no Cachão

Um incêndio deflagrou ontem à noite numa antiga fábrica, do complexo do Cachão, no concelho de Mirandela, que agora serve de armazém a uma empresa de papel e onde se encontravam armazenados fardos de plástico e outros resíduos.O alerta foi dado por volta das 21 horas e para o local deslocaram-se de imediato cerca de uma centena de bombeiros de várias corporações dos distritos de Bragança e Vila Real.  A principal preocupação dos operacionais foi impedir a propagação do fogo às restantes fábricas do complexo que ainda estão a laborar, dado que o armazém onde começou o incêndio é contíguo a uma fábrica de transformação de castanha. Nesta altura, segundo indicação do comando distrital dos bombeiros, o incêndio está dominado e encontra-se em fase de rescaldo.Não há registo de feridos, mas o Instituto Nacional de Emergência Médica montou, por precaução, um posto avançado no local.Uma trabalhadora de uma fábrica de tintas do complexo não continha a sua revolta com a situação, tal como outros habitantes do Cachão.“Puseram aqui um reservatório de lixo à frente da fábrica e estão agora a esconde-lo por causa das eleições”, refere a trabalhadora indignada, acrescentando que “é um pó horrível que nem se consegue trabalhar mas as autoridades só se preocupam com a poluição da água”.“Isto é uma miséria que ninguém vê e quanto mais barulho se faz, mais entulho ali metem. Só se interessam agora quando veem a pouca vergonha que aqui vai”, afirma uma habitante. Também o membro da Assembleia Municipal de Mirandela pela CDU, que por diversas ocasiões alertou para os perigos que podiam advir do depósito de resíduos naquele armazém, estava desolado porque os seus apelos caíram em saco roto.“É triste ter de chegar a este ponto. Nós tentamos alertar para o que aqui estava mas o presidente da câmara de Mirandela não quis saber e foi protelando este problema, que me revolta por ter tentado alertar para o perigo que aqui estava e nada ter sido feito”, afirma Pedro Fonseca.No entanto, para um dos administradores da Agro-Industrial do Nordeste (AIN), tudo indica que este incêndio teve mão criminosa.“Temos de levar isto às autoridades competentes para investigar a origem deste incêndio porque dá a impressão que foi estudado porque está no limite do complexo”, afirma António Morgado.O antigo complexo Agro-Industrial do Cachão cessou a sua atividade, em 1992, na sequência da falência decretada pelo tribunal. Os trabalhadores foram dispensados. A maior parte do património que restou do antigo complexo foi entregue às Câmaras Municipais de Mirandela e de Vila Flor que formaram AIN, arrendaram as instalações do complexo a pequenos empresários que procederam à modernização dos equipamentos.
Atualmente, o espaço alberga cerca de uma dezena de unidades empresariais ligadas essencialmente ao setor agrícola e conta com perto de uma centena de postos de trabalho.
Escrito por  Terra Quente (CIR)
Retirado de www.brigantia.pt

terça-feira, 24 de setembro de 2013

O Lodo e as Estrelas - Ernesto Rodrigues

      
O meu Verão de 1975, após um semestre em França, foi dedicado a O Lodo e as Estrelas, do Padre Telmo Ferraz, agora justamente celebrado pelos conterrâneos de Bruçó. Ocupou-me a tal ponto, que só há duas entradas no diário da época:
«31 de Julho. O grupo amador A Máscara estreia O Lodo e as Estrelas, que adaptei da obra homónima [1960] do padre Telmo Ferraz: as condições sub-humanas em que vivem os construtores da barragem de Picote, nos finais de 50.
Vai ser a travessia do distrito, à boleia, dormindo, comendo e representando onde bem calhar. Cai-me o cabelo de um ano pelas costas e a barba não se fica atrás.
Não há outra saída nesta cidade para um verão tórrido e cheio de maus sinais. Extremam-se os sentimentos dos portugueses, enquanto me pergunto se vou estar um segundo ano parado, à espera de entrar na Universidade.
10 de Setembro. Terminámos a digressão, sete mânfios de boa vai ela. Houve de tudo: desde problemas internos a apodos de «comunistas». Servimo-nos de atrelados de tractores, dormimos sobre fardos de palha, lavámo-nos em chafarizes.
Foram 22 sessões, com a peça e respectiva discussão pública precedidas de versos mais ou menos violentos (de poetas argelinos, por mim traduzidos, ao “Cântico Negro” regiano) que eu debitava. Tudo, bom Deus, entre o louvável e o péssimo. Agora, descansando, e cortando sempre, revejo as minhas três peças na gaveta.»
Retrato do Grupo de Teatro A Máscara, com nome impresso nas t’shirts, e uma cena com o capitalista lendo jornal, indiferente ao proletário no lodo, podem ser vistos no blogue de Henrique Martins: são imagens de um tempo em que a juventude intervinha, no ano em que esquerdas queriam alfabetizar à força o Nordeste e direitas incendiavam sedes e automóveis.
 O nosso teatro de guerrilha, por terras onde nunca se vira um palco, talvez deixasse alguma impressão saudável – no título, ao menos, que certos jornais gralhavam como O Iodo e as Estrelas…
Eram textos curtos e fortes, e, como os trabalhadores que para o Douro vinham, prosas deslocadas, o que sobressaltou censores do espírito, sem a flagrante empatia dessas páginas.
A edição tornou-se raridade.
Enquanto isso, noutro palco de guerra, angolano, o padre Telmo Ferraz fazia infinitamente mais do que nós: salvava corpos e almas. Homem de barragens ao medo e à miséria, eu ia sabendo de seu cá e lá, sem a oportunidade de uma longa conversa em que agradecesse livro, entretanto reeditado (1975), convidando a olhar as estrelas. Agradecendo, também, haver uma criatura de Deus tão importante nas nossas vidas.

Retirado de www.mdb.pt

10ª Edição do Festival Douro Jazz - 2013

Com a chegada das vindimas, o jazz chega também à região do Douro e Trás-os-Montes. De 21 de Setembro a 12 de Outubro serão apresentados 14 concertos de palco e mais 15 actuações nas ruas e nas escolas das cidades de Vila Real, Bragança e Lamego.


A ideia é fazer circular a música jazz pela região demarcada mais antiga do mundo, que se encontra em plena vindima. Os músicos actuam em cima de uma carrinha que percorre algumas localidades da região.

Depois, há ainda sessões para o público infanto-juvenil na rubrica "O Douro Jazz Nas Escolas”.

SEAMUS BLAKE, um dos mais influentes músicos de jazz americanos da última década, é o cabeça de cartaz da 10.ª edição do Festival Internacional Douro Jazz. O saxofonista da Mingus Big Band será o convidado do quarteto de Filipe Melo e Bruno Santos, formação que, em associação com o Douro Jazz, foi criada há alguns anos com o intuito de acompanhar lendas do jazz que se deslocam a Portugal e, em particular, a este festival.

O grego SPYROS MANESIS junta um baterista lituano e um contrabaixista português num trio cuja química lhe concede um som distinto, caracterizado pelo lirismo e pela ampla gama de dinâmicas e texturas. Apresenta o seu ao álbum de estreia, “Undelivered”.

Em HURRICANE, o saxofonista Rodrigo Amado, nome maior do jazz português nas últimas duas décadas, junta-se a dois dos músicos nacionais cuja ascensão terá sido das mais prodigiosas e fulgurantes nos últimos anos: Gabriel Ferrandini, jovem baterista com referências hiperbólicas, e DJ Ride. Um concerto virtuoso, eminentemente livre, exploratório e incendiário.

O sexteto L.A. NEW MAINSTREAM reúne o compositor e trombonista de origem alemã Lars Arens a cinco das maiores referências da nova geração de músicos de jazz portugueses. De acordo com a crítica, «há algum tempo que o jazz português não soava e swingava com tal vigor e energia».

O quarteto de ISABEL VENTURA traz um trompetista convidado para apresentar o saboroso primeiro disco a solo da cantora. ‘Encontro em dois momentos’, com arranjos de Marco Figueiredo, assenta no cruzamento de standards de jazz e canções emblemáticas portuguesas (de Sérgio Godinho e Fausto, por exemplo).

Na vertente internacional, o festival inclui ainda o britânico MIKE DOWES, guitarrista que ajudou a conceder ao fingerstyle o estatuto e a importância que tem hoje.

Os 4 POR JAZZ são uma formação de Vila Real que interpreta músicas do cancioneiro americano com espaço para a improvisação.

A DOURO JAZZ MARCHING BAND fará circular o dixieland em arruadas e na versão Douro Jazz Sobre Rodas, e, como nos últimos anos, levará o festival às escolas.

Paralelamente aos concertos, o quarteto de Filipe Melo ministrará ainda uma masterclassepara os músicos da região.

O Douro Jazz é co-organizado pelos teatros de Vila Real, Bragança e Lamego.

Saiba mais no site do evento »»

Retirado de www.noticiasdonordeste.com

Geoparque Terras de Cavaleiros comemora as Vindimas no seu território

Durante os dias 5 e 6 de outubro os participantes poderão (re)viver uma das mais ancestrais tradições do nosso território, a Vindima.






O primeiro dia (5 de outubro) terá início com o tradicional mata-bicho; seguindo-se a vindima e uma visita à adega para a, não menos importante, prova de vinhos. O dia culminará com o “pisa-a-pés”, ponto crucial de todas as atividades subjacentes a este ícone do Geoparque Terras de Cavaleiros.

O segundo dia (6 de outubro) permitirá uma viagem pela Geo e Biodiversidade. Os interessados poderão efetuar as inscrições e/ ou obter mais informações até ao dia 1 de outubro através do  email- geoparqueterrasdecavaleiros@gmail.com; do  facebook- www.facebook.com/terras.cavaleiros; ou do telefone- 278 428 101 / 912 956 197.

Retirado de www.noticiasdonordeste.com

Bombeiros Voluntários de Macedo de Cavaleiros em obras para ampliação do quartel

As equipas de combate a incêndios florestais do dispositivo da ANPC, dos Bombeiros Voluntários de Macedo de Cavaleiros, durante os períodos sem intervenção no terreno, estão a efectuar obras que visam ampliar as instalações desta Associação Humanitária, sem custos adicionais para a instituição.

Com o arrancar dos trabalhos, espera-se melhorar o modelo de organização, gestão administrativa e operacional.

As dimensões reduzidas do parque de viaturas, que obrigava a que grande parte das mesmas permanecesse na parada, estiveram na origem destes feitos, estas obras visam aumentar o parque coberto em 300 m2, reparar os muros e colocar gradeamento na parte traseira do quartel.

Foram também instalados no quartel sete ares condicionados, quatro dos quais, oferecidos pelo Hotel Muchacho, a quem agradecemos, e os restantes foram adquiridos pela Associação Humanitária dos Bombeiros de Macedo de Cavaleiros.

Retirado de www.noticiasdonordeste.com

Obra Social poupa na electricidade para atenuar dificuldades

lampada.jpg
O período é de dificuldades para as instituições de caridade e a Obra Social Padre Miguel em Bragança não é excepção. O Presidente da Direcção confessa que tem sido feitas grandes poupanças na obra, essencialmente na energia de modo a poupar ao máximo e ultrapassar as dificuldades do momento.  “O período é de dificuldade para as instituições, vamos ver como elas se erguem, nós temos combatido tudo o que é desperdício, temos estado a lutar e temos conseguido diminuí-lo”, refere. “Os contratos que tínhamos de luz, gás, elevadores, são agora muito mais baratos. Estamos a fazer uma transformação em toda a luz, com lâmpadas mais baratas e com sensores nos corredores e casas-de-banho”, acrescenta.Nuno Vaz confessa que são cada vez mais os que pedem apoio à instituição. Acrescenta que os idosos estão inscritos mas que não vão para a instituição porque ficam em casa a ajudar os filhos, que estão desempregados.
“O que se começa a verificar agora frequentemente é a grande dificuldade dos idosos virem porque têm que ficar em casa para ajudar os filhos. Muitos que estão inscritos ponderam muito antes de dar o passo de vir e vão adiando, na esperança que a situação económica do país melhore e que os filhos voltem a ter trabalho”.
Escrito por Brigantia
Retirado de www.brigantia.pt

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Missão Douro no Mundo traz americanos para a região

A missão institucional e empresarial «Douro no Mundo», que levou uma comitiva do Douro a cruzar o Atlântico para suscitar o interesse dos operadores americanos, foi «muito positiva, tendo ultrapassado as expectativas no sector turístico».
A acção foi promovida pelo “Douro e Estrela – In Tourism”, projecto co-promovido pela Associação dos Empresários Turísticos do Douro e Trás-os-Montes (AETUR) e pela Associação Empresarial da Região da Guarda (NERGA).
“A receptividade às nossas propostas comerciais foi excelente, materializando-se a procura americana em produtos com perfil histórico, gastronomia e vinhos, experiências únicas e marcantes, de tranquilidade e segurança, patrimónios da humanidade e forte identidade do Interior Norte”, revelou Alberto Tapada, dirigente da AETUR.
Os encontros, com mais de três dezenas de operadores americanos, permitiram perceber o interesse no turismo de Natureza, observação de aves, biodiversidade, turismo rural, arqueologia e acolhimento turístico em alojamento familiar. Foram feitas reservas para três grupos de turistas, que visitarão o Douro em 2014, e ficou o compromisso de “uma adaptação temporal à tipologia de programas europeus comercializados nos EUA”. “Os calendários têm de ser adaptados, isto é, apresentámos propostas para 7 dias e os operadores querem 15 dias. Por outro lado, alguns operadores já trabalham no Douro, mas na vertente de barco-hotel e pretendem a nossa tipologia”, clarificou.
“O Douro no Mundo” teve o apoio da Estrutura de Missão do Douro, da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDRN), da Embaixada de Portugal em Washington, do Consulado Geral de Portugal em Nova Iorque, AICEP, Turismo de Portugal, Agências de Promoção Externa (Norte e Centro) e Comunidade Portuguesa em Newark.

Escrito por: Raquel Neto
Retirado de www.diariodetrasosmontes.com  

Bispo de Bragança-Miranda contra «crimes sociais»

O bispo de Bragança-Miranda manifestou-se contra os «crimes sociais» que estão por trás do «horror dos incêndios», evocando os bombeiros que morreram em Portugal, neste verão.
“Têm de existir responsabilidades e má-fé na maioria das desagradáveis situações e destes crimes sociais pelas quais passaram milhares de pessoas em Portugal”, assinala D. José Cordeiro, num artigo de opinião publicado na mais recente edição do Semanário ECCLESIA.
Num artigo com o título ‘Cuidadores da beleza da criação’, o bispo de Bragança-Miranda recorda a morte dos oito bombeiros, com tristeza e “muita desolação, o primeiro dos quais em Cicouro de Miranda do Douro”, e pede oração por estas vítimas, pelas suas famílias, pelas corporações de Bombeiros a que pertenceram e por tantas vítimas dos incêndios.
A este número somou-se esta terça-feira uma nona vítima, o presidente da junta de freguesia de Queirã, Vouzela (Viseu), ferido num incêndio em agosto.
“Bendizemos a Deus pela generosidade, pelo risco e pelo sacrifício de tantos bombeiros, sobretudos dos mais jovens, no serviço em relação à sociedade e à natureza”, assinala o prelado.
No seu artigo, D. José Cordeiro relembra as palavras do Papa Francisco, no início do pontificado, quando apelou para que todos sejam “guardiões da criação, do desígnio de Deus inscrito na natureza, guardiões do outro, do ambiente”.
O bispo transmontano recordou também o Beato João Paulo II que em 1980 pediu aos alunos finalistas das escolas centrais anti-incêndio que desenvolvessem a sua atividade como uma “expressão concreta do amor cristão para com o próximo e as suas necessidades” num “serviço tão delicado e necessário à comunidade”.
Segundo D. José Cordeiro, Deus encontra sempre em cada pessoa “aquele traço de beleza do seu próprio punho e convoca-o para fazer caminho na obra de embelezamento que é a Criação”.
Este verão foram registados mais de sete mil incêndios que alteraram a paisagem portuguesa onde “a beleza da natureza passou a terra feia e degradada”, lamenta o bispo de Bragança-Miranda

Agência Ecclesia, 2013-09-23
Retirado de www.diariodetrasosmontes.com  

Produtores do Douro juntam-se para fazer vinho do Porto em acção solidária

  Vinte e um produtores de vinho do Douro juntam-se no domingo, em Alijó, para pisar o vinho do Porto «O-port-unidade» que será vendido para angariar receitas para a associação Bagos d’Ouro, anunciou nesta quinta-feira a organização.
O projecto “O-port-unidade” é organizado pela World of Port, uma escola de formação sobre vinho do Porto, e conta com o apoio do Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto (IVDP). Esta iniciativa partiu de Axel Probst, que lidera esta escola, localizada na Alemanha.
O vinho do Porto “O-port-unidade” será pisado nos lagares redondos de Vale Mendiz, concelho de Alijó, por um representante de cada uma das casas convidadas. Depois, as garrafas deste produto serão vendidas e leiloadas e as receitas do projecto serão doadas à Associação Bagos d Ouro, uma organização de solidariedade que apoia crianças e jovens desfavorecidos do vale do Douro.
A organização refere que o nome “O-port-unidade” exprime a unidade dos produtores de vinho do Porto na manufactura de um Porto “muito especial”, assim como "a oportunidade de fazer algo, no plano criativo e solidário, na Região Demarcada do Douro".
A Bagos d Ouro intervém junto das crianças e jovens, acompanhando o seu percurso escolar e apostando na criação de oportunidades para o desenvolvimento de projectos de vida de sucesso. Esta organização escolheu o Douro para a actuar porque a região está entre as 30 mais pobres das 254 regiões da Europa.
O índice médio de poder de compra no Douro é 32% inferior à média nacional e, em Trás-os-Montes e Alto Douro, encontram-se as maiores taxas de consumo de álcool do país (65%).

 Lusa, 2013-09-23

Peça de teatro ''Os Peixeiros'' esgotou o Auditório Municipal de Mirandela

O grupo de teatro En(Cena) estreou no Auditório Municipal de Mirandela, no dia 14 de setembro, a peça “Os Peixeiros”, esgotando os cerca de 500 lugares da sala.





Com textos e encenação da autoria dos jovens mirandelenses do grupo En(Cena), a peça retrata um dia de dois peixeiros que nas suas bancas junto ao mar atendem os mais variados e caricatos clientes. A tónica é predominantemente cómica e até um pouco satírica à sociedade portuguesa.

A primeira encenação do grupo intitulada “O Auto da Barca do Inferno adaptado a ilustres portugueses” já tinha demonstrado a qualidade destes jovens de 15, 16 e 17 anos. Esta nova exibição só veio comprovar o talento e o empenho do grupo e deixou nos espetadores a vontade de assistir a novas peças.

Retirado de www.noticiasdonordeste.com

Sendim produz primeiro vinho biológico da região

vinho.jpg
A Cooperativa Agrícola Ribadouro de Sendim, em Miranda do Douro, lançou o seu primeiro vinho biológico. É o primeiro néctar a ser lançado na região vinícola de Trás-os-Montes.  O responsável da cooperativa garante um produto de categoria e salienta que a região tem potencial na agricultura biológica. “É a primeira vez que a região vitivinícola de Trás-os-Montes, tem um produto desta categoria, quanto a nós é mais um produto para aparecermos em novos mercados e até para solicitar alguma procura que há deste tipo de produtos numa região que tem potencial na agricultura biológica, que ainda não está devidamente aproveitado, e é isso que nos estamos a fazer, a dar esse primeiro passo para mais produtores se juntarem a agricultura biológica e daí terem mais ganhos”, afirma. Paulo Teixeira explica que a produção de um vinho biológico, só foi possível porque um associado da Cooperativa mudou o método de produção das suas vinhas para a agricultura biológica. “Surge no seguimento da produção de um agricultor que converteu a sua exploração para biológico e no aproveitar a parte dessa cooperativa para apresentar um produto novo”, refere. O vinho biológico da Cooperativa de Sendim conta já com várias encomendas para o estrangeiro. Paulo Teixeira explica que os produtos biológicos têm grande destaque na Europa. “A agricultura biológica tem grande destaque na Europa e também nos Estados Unidos também dão particular atenção a estes produtos. Já temos encomendas para França, Estados Unidos e Nepal”, conclui.
O vinho tinto Ribeira do Corso Biológico da colheita de 2012 já está à venda nos principais restaurantes da região.
Escrito por Brigantia
Retirado de www.brigantia.pt

Família do Tio João reúne-se para conhecer a Rádio Brigantia

A família do Tio João conheceu ontem a Rádio do Coração.Com a retoma do programa, agora na Rádio Brigantia, o apresentador e os ouvintes entenderam que era o mote perfeito para organizar mais um convívio.Por isso, ontem reuniram-se num almoço na aldeia de Nogueira, em Bragança.  “Resolvemos organizar um almoço para apresentar a rádio à família do Tio João e também serviu para matarmos saudades”, explica Nicolau Sernadela, acrescentando que “agora há uma rádio que nos dá albergue e esta gente gosta de conhecer quem a lídera”.Neste almoço marcaram presença cerca de 250 pessoas de 17 concelhos diferentes da região. “Na aldeia de Vila Boa de Carçãozinho vivem cerca de 30 pessoas e hoje estão aqui 17”, salienta Casimiro Morais. “Acho que o programa está a progredir cada vez mais, tem mais dinamismo do que antes”, considera Maria Fileno de Gimonde. João Pedro de Grijó tem apenas 15 anos mas “já conheço o Tio João há muito tempo e venho a estes convívios com os meus avós. Ouço o programa todos os dias quando os meus avôs estão na cama a ouvir, eu ouço do meu quarto”. Já Bernardete Henrique, de Torre Dona Chama, diz que “por acaso não ouço mas os mais pais viveram muito com a família do Tio João, o meu pai tem 91 anos e ainda vive este entusiasmo”. Este encontro serviu também para a direcção da Rádio Brigantia ouvir os anseios dos ouvintes.“Foi com muito gosto que estivemos aqui a apresentar-nos à família e ouvimos as suas sugestões e propostas para o programa evoluir e agora veremos o que vamos fazer, pois o balanço até agora é extremamente positivo”, assegura o director da PressNordeste, João Campos.
O programa foi retomado há quase dois meses e já fez 77 novos amigos.
Escrito por Brigantia
Retirado de www.brigantia.pt

sábado, 21 de setembro de 2013

Brito de Baixo, a despedida do Verão (Imagens do ano passado. As deste ano o fogo levou.)

É hora de ir embora!
Faz-se tarde, vamos lá!
Não façam alarde, tenham calma!
A viagem é longa,
mas a vida é calma!
 
Pequena!
De beleza estonteante,
Deita-se serena como um diamante.
Que bela mão a usaria?
A de Deus, certamente!
Outra não ousaria
perturbar o seu repouso.
 
O Serro aprecia os telhados vermelhos
e não quer imaginar os seus sonhos desfeitos.
Afinal não passa de pedra,
vestida de verde.
Não tem sentimentos.
Apenas os inspira.
 
Ao longe a avisto, em ondas de emoção.
E canto com ela as muitas canções trazidas pelo vento
que vergasta as árvores sacudindo as folhas.
E toda sou, filha pródiga que regressa à casa que a viu nascer,
de olhos marejados.
Quem diz que aqui não há mar,
empresto os meus olhos para neles mergulhar.
 
Mara Cepeda

Eleição dos novos corpos gerentes da Academia de Letras de Trás-os-Montes

Professor Doutor Ernesto Rodrigues, professor na Universidade Nova de Lisboa, grande escritor e grande amigo, natural de Torre Dona Chama, ainda Presidente da Direção da Academia.
 
Homenagem ao Presidente da Câmara de Bragança, Eng. António Jorge Nunes, admitido como sócio honorário, pelo seu trabalho em prol da Academia. Justa homenagem, sem dúvida nenhuma.
 
Professor Doutor Amadeu Ferreira, Vice-presidente da CMVM, entre muitas outras coisas, grande impulsionador da língua mirandesa, grande escritor, dono de uma imensa força interior, atual Presidente da Academia.
Desde o primeiro momento, entraste nos nossos corações como se fosse a tua casa. A tua energia inesgotável, o teu sorriso franco, a tua vontade férrea e a tua inteligência avassaladora são as tuas armas que vais esgrimir qual Artur da Távola Redonda, com força e valentia.
Força Amadeu! Estamos, sempre, contigo.
 
 
Mara e Marcolino Cepeda

Bispo de Bragança celebra Missa do Peregrino em Santiago de Compostela



Termina amanhã,  sábado Hoje),  a  peregrinação  da  Diocese  de  Bragança‐Miranda  a Santiago de Compostela. Um dos peregrinos é D. José Cordeiro, bispo da Diocese de Bragança-Miranda.








Na  Catedral  de  Santiago  são  esperadas  cerca  de  600  pessoas  (provenientes  de  todas as unidades pastorais da Diocese) para assistir à Missa do Peregrino presidida pelo bispo diocesano.  “Ir  a  Santiago,  em  peregrinação,  é  o  caminhar  pela  vida,  levando  o  essencial,  como  aquilo  que  constitui  a  bagagem  de  cada  peregrino  e,  sobretudo  alimentar  a  sua  fé, sabendo que a vida humana é uma viagem, é uma peregrinação”, explicou D. José.
A  peregrinação  teve  início  em  Junho  com  um  grupo  de  cinco  cavaleiros  que  partiu  da  Catedral  de  Bragança,  e  prosseguiu,  em  Julho,  com  duas  etapas  pedestres: Quintanilha‐Bragança e Bragança‐Vinhais.

Retirado de www.mdb.pt  

Música homenageia bombeiros

foto
»Um grupo de Bragança criou uma música de homenagem aos Bombeiros.
Trata-se de uma banda musical liderada por MK Nocivo que tem vindo difundir a cultura do Hip Hop em Trás-os-Montes, com produções originais.
O trabalho de homenagem foi desenvolvido numa altura em que os Bombeiros Voluntários portugueses têm vindo a sofrer grandes perdas humanas no combate aos fogos florestais.
Recorde-se que a corporação de Miranda do Douro chorou a morte de dois bombeiros, que foram traídos pelas chamas num incêndio registado em Agosto passado.

Retirado de www.jornalnordeste.com

Mogadouro:Incêndios afetam produção de mel no vale do Sabor e parque do Douro Internacional

Os incêndios que deflagraram em julho e agosto na região do parque Natural do Douro Internacional e no vale do rio Sabor destruíram cerca de 500 colmeias e provocaram danos produtivos em cerca de 8.000.   
Os números foram avançados pela Associação de Apicultores do Parque Natural do Douro internacional (AAPNDI), que abrange os concelhos de Miranda do Douro, Mogadouro e Freixo de Espada à Cinta.
"Para as 8.000 colmeias afetadas temos vindo a reclamar apoios para a alimentação dos enxames, já que é praticamente impossível trasladar os colmeais para zonas onde haja alimentos para as abelhas", referiu o técnico na AAPNDI, Vítor Ferreira.
De acordo com o técnico, devido aos incêndios que "fustigaram" as regiões do Douro Superior, Parque Natural do Douro Internacional e do Planalto Mirandês"não há assim muitas áreas disponíveis para colocar os apiários".
"Já reclamámos junto da tutela apoios para a aquisição de alimentos para que possamos manter vivos os enxames até ao fim do inverno", frisou o técnico.
As 500 colmeias que foram destruídas pelas chamas estavam em produção. Para além da perda do efetivo, a produção de mel do corrente ano ficou "altamente comprometida".
"Já nos foi prometido que o potencial produtivo seria reposto. No que diz respeito aos apoios à alimentação, teremos de fazer outra contabilidade para sabermos o efetivo apícola que poderá ser apoiado",acrescentou Vítor Ferreira.
Nos entanto, os apicultores nordestinos mostram-se apreensivos com as elevadas temperaturas do mês de setembro e temem que possa haver mais incêndios na região “que comprometam ainda mais a produção de mel".

Retirado de www.rba.pt

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Tribunal aceita providência cautelar para travar Barragem do Tua

Tribunal aceita providência cautelar para travar Barragem do Tua                    
O Tribunal Administrativo e Fiscal de Mirandela aceitou a providência cautelar interposta pela Plataforma Salvar o Tua, que tem como objetivo parar a construção da barragem, em construção desde 2011 na foz do Tua, anunciou a organização.
"O nosso objetivo é muito claro, é parar esta barbaridade e este crime contra o património nacional e contra os bolsos dos portugueses", afirmou hoje à agência Lusa João Joanaz de Melo, da Plataforma Salta o Tua - Associação de Defesa do Ambiente.
Esta plataforma, que junta nove associações ambientais e uma quinta de produção vinícola, quer travar a construção da Barragem de Foz Tua, na confluência dos distrito de Vila Real e Bragança, e concessionada à EDP.
Depois de admitida a providência cautelar pelo tribunal, agora a EDP e o Estado português têm um período para contestar e só depois será julgada a providência e será submetida a ação principal.
Fonte oficial da EDP, contactada pela Lusa, confirmou que a empresa recebeu a notificação do tribunal e garante que irá apresentar a oposição no prazo legal.
A EDP sublinha que o projeto está "a ser desenvolvido atendendo a todas as obrigações e recomendações de entidades oficiais nacionais e internacionais, bem como em sintonia com os anseios da população e os responsáveis da região".
Para Joanaz de Melo, "esta é uma obra totalmente inútil e que vai ter um custo brutal para o país. "Podemos comparar esta obra aos piores casos das ex scuts, ao aeroporto de Beja ou ao caso BPN", salientou.
Trata-se, na sua opinião, "de mais uma fraude sobre os contribuintes portugueses, para além de todos os danos ambientais e culturais que estão em causa".
O também dirigente do Grupo de Estudos de Ordenamento do Território e Ambiente (GEOTA) considerou que o empreendimento hidroelétrico é "extremamente prejudicial para o desenvolvimento local, tem impactos brutais a nível do ambiente e culturais, levando à destruição da linha ferroviária do Tua.
Para além disso, coloca ainda em "risco o Douro Património Mundial da Humanidade".
Em junho, a Plataforma Salvar o Tua lamentou a aprovação, por parte da UNESCO, de uma deliberação que compatibiliza a Barragem de Foz Tua com o Douro Património Mundial.
Joanaz de Melo referiu ainda que, esta ação em tribunal surgiu após ter sido "esgotada a via do diálogo" e depois de a associação ter sido recebidos por várias entidades, como o Presidente da República, representantes da Comissão Europeia, Fundo Monetário Internacional e UNESCO.
"Mas até agora nunca houve uma resposta satisfatória. Infelizmente resta-nos o recurso ao tribunal", frisou.
Já em junho, a Plataforma Salvar o Tua entregou a petição "Manifesto pelo Vale do Tua", na Assembleia da República, reunindo 5.324 assinaturas em defesa da paragem das obras da Barragem de Foz Tua.
A Assembleia da República já discutiu outras duas petições com o mesmo propósito, em 2009 e em 2011, apresentadas pelos movimentos cívicos pela Linha do Tua e dos Cidadão em Defesa da Linha do Tua, sem consequências em relação às solicitações apresentadas.
A barragem, concessionada há EDP, começou a ser construída há dois anos, ficando a conclusão da obra adiada para setembro de 2016 por causa do abrandamento imposto pela UNESCO.

Retirado de www.portocanal.sapo.pt

Santiago de Compostela acolhe peregrinação da diocese de Bragança-Miranda

 A pé, a cavalo, de bicicleta, de autocarro ou de avião, peregrinos celebram a fé junto do Apóstolo Santiago



D. José Cordeiro também é peregrino de Santiago
 





Cerca de seis centenas de peregrinos da diocese de Bragança-Miranda são esperados, no sábado, na Catedral de Santiago de Compostela.

A iniciativa surge como ponto alto da caminhada diocesana, neste Ano da Fé, e “será, para todos os que quiserem associar-se, um dia de encontro, junto do Apóstolo Santiago, em Compostela”, refere à Renascença o bispo D. José Cordeiro.

Muitos dos que vão estar em Santiago de Compostela optaram pela peregrinação a pé, como manda a tradição. Foi a escolha também de D. José Cordeiro que, com um grupo de peregrinos, percorre a pé os cerca de 300 quilómetros que separam Bragança de Santiago de Compostela.

Outros vão de autocarro, alguns escolheram a bicicleta e outros ainda o avião.

A peregrinação teve início em Junho, com um grupo de cinco cavaleiros que partiu da Catedral de Bragança.

Para o bispo de Bragança-Miranda, ir a Santiago em peregrinação “é o caminhar pela vida, levando o essencial, como aquilo que constitui a bagagem de cada peregrino e, sobretudo alimentar a sua fé, sabendo que a vida humana é uma viagem, é uma peregrinação”.

A peregrinação foi escolhida dentro do projecto pastoral da diocese como a “grande metáfora”, com o slogan "repartir de Cristo" nos novos caminhos da missão.

“A peregrinação é uma atitude espiritual de abertura a Deus, ao mundo, aos outros e a nós próprios, como um exercício constante e permanente do caminho que nos conduz ao Absoluto, ao Eterno, ao Mistério”, explica o prelado.

O ponto alto da peregrinação diocesana vai ocorrer pelas 12 horas, com a celebração da eucaristia na Catedral de Santiago de Compostela, presidida pelo bispo diocesano, D. José Cordeiro, depois de ser recebido, às 11 horas, pelo Arcebispo da Arquidiocese de Santiago de Compostela, D. Julián Barrio Barrio.

Após o almoço, é tempo de uma visita à cidade.

Escrito por Olímpia Mairos
Retirado de www.sapo.pt

Câmara de Alfandega da Fé com “luz verde” do Tribunal de Contas para concretizar venda do Hotel & SPA

O Tribunal de Contas (TC) já deu o “ visto” à câmara de Alfândega da Fé para concretizar a venda do Hotel&SPA, cujo processo de aquisição por grupo hoteleiro estava em marcha desde 2010.   
“É um facto que obtivemos um visto do TC para fazer um aumento de capital do Hotel&SPA para assim reunirmos a condições para a venda da unidade turística”, disse à RBA a presidente da Camara de Alfândega da Fé, Berta Nunes.
Berta Nunes acrescentou que, a autarquia está já a trabalhar com unidades bancárias no sentido de “ disponibilizarem o dinheiro para proceder ao aumento de capital”.
O grupo representado pelo empresário Victor havia apresentado uma proposta de investimento de um milhão e meio de euros, que previam a realização de obras para melhorar as condições do hotel, nomeadamente a sua ampliação de 25 para 75 quartos .
 Além disso, o empresário “comprometeu-se a assumir 1,6 milhões de euros da cerca de dois milhões do passivo da Alfandegatur-Empresa Municipal de Desenvolvimento Turístico de Alfândega da Fé”
A venda ainda não foi concretizada, uma vez que a dívida da empresa ronda os 2,3 milhões de euros, após uma redução de cerca de 700 mil euros, e o município é obrigada a amortizar a dívida até atingir o valor da venda.

Retirado de www.rba.pt

Fisioterapia vai funcionar em todos os centros de saúde

fisioterapia_uls.jpg
Todos os Centros de Saúde do distrito de Bragança vão passar a ter serviço de Fisioterapia a partir do início de Outubro.
A Unidade Local de Saúde do Nordeste estabeleceu parcerias com as Santas Casas da Misericórdia de Alfândega da Fé e de Foz Côa, para ter especialidade a funcionar nos cuidados de saúde primários.
O presidente do conselho de administração da ULS do Nordeste, António Marçôa, assegura que esta foi a fórmula encontrada para garantir um serviço de proximidade aos utentes.
“Com isto conseguimos prestar melhores cuidados aos utentes de uma região como a nossa com determinadas características, nomeadamente utentes com idade avançada e que necessitam deste tipo de cuidados com muita frequência”, realça o responsável.
O director clínico da ULS do Nordeste, Domingos Fernandes, não tem dúvidas que o alargamento desta valência vai permitir que mais utentes tenham acesso a tratamentos de fisioterapia.
“Com este projecto é importante realçar que centros que até agora não tinham possibilidade de serem tratados, independentemente de serem tratados nas nossas instalações ou noutras. Por exemplo, no concelho de Torre de Moncorvo nem que quisessem ir a convencionados não tinham essa possibilidade. Tinham que se deslocar até aos hospitais. Isso coloca logo problemas, um deles é a falta de adesão aos tratamentos”, salienta o director clínico.
Em Bragança, Macedo de Cavaleiros e Mirandela, a Fisioterapia vai ficar concentrada nos hospitais. Nos restantes concelhos, os utentes passam a ter acesso a esta valência nos centros de saúde.
Escrito por Brigantia
Retirado de www.brigantia.pt  

Cidade de Bragança assinala o Dia Europeu sem Carros

No dia 22 de setembro, o Município de Bragança promove o “Dia Europeu sem Carros”. Uma vez mais, e com o objetivo de sensibilizar os cidadãos para os efeitos negativos que as atuais tendências do transporte urbano têm na saúde, tanto para as pessoas como para as cidades em que vivem, o Município de Bragança promove, no dia 22 de setembro (domingo), o Dia Europeu sem Carros.

Para tal, organizou um conjunto de iniciativas, com a seguinte programação: - das 8:00 às 13:00 horas: Restrição de arruamentos na cidade de Bragança ao tráfego motorizado (conforme mapa abaixo) - 9:00 horas: Percurso pedestre, acompanhado de guia turístico; Concentração: Praça Cavaleiro Ferreira.

O uso excessivo de veículos motorizados, em especial do automóvel particular, provoca inúmeros problemas de saúde nos cidadãos, como incluem lesões e mortes devido a acidentes rodoviários; infeções respiratórias e doenças decorrentes da poluição atmosférica, doenças crónicas, como excesso de peso/obesidade e doenças cardiovasculares devido a um crescente estilo de vida sedentário. Outros fatores de risco para a saúde física e mental são as catástrofes naturais desencadeadas pelas alterações climáticas tais como, cheias, tempestades e ondas de calor; o isolamento social e a desagregação da comunidade consequência do enorme tráfego rodoviário e da ausência de espaços públicos; e a poluição sonora que leva a perturbações do sono e a irritação.

Linha delimitadora da Zona de restrição ao tráfego motorizado no dia 22 de setembro.

As artérias abrangidas pela Zona de restrição serão: Rua 5 de Outubro, parte da Rua Alexandre Herculano, Rua da República, Praça da Sé, Rua Almirante Reis, Jardim António José de Almeida, Praça Camões e Zona dos Batocos, Rua Oróbio de Castro, Rua Dr. Raul Teixeira, Largo Lucien Guerche, Rua das Moreirinhas, Rua dos Gatos, Rua dos Fornos, Rua Combatentes da Grande Guerra, Largo de São Vicente, Rua Abílio Beça, Rua 1 de Dezembro, Rua Marquês de Pombal, Rua Trindade Coelho, Rua Serpa Pinto, Rua de São João, Rua José Beça, corredor verde do rio Fervença desde a rotunda Flor da Ponte à escadaria de acesso à capela de Nossa Srª da Piedade.

Retirado de www.noticiasdonordeste.com

Jornadas Culturais de Balsemão passam por Alfândega da Fé XVI edição é dedicada ao “Diálogo entre a Cultura e a Fé”

Realizam-se de 3 a 6 de outubro as XVI Jornadas Culturais de Balsamão. A iniciativa, organizada anualmente pelo Centro Cultural de Balsamão, é, este ano, dedicada ao tema “Diálogo entre a Cultura e a Fé”.



As Jornadas, que têm como principal objetivo debater e analisar temas de interesse cultural e dar a conhecer a cultura e história do Nordeste Transmontano, vão dedicar um dia a Alfândega da Fé. O programa inclui uma deslocação a este concelho do nordeste transmontano, no dia 5 de outubro.

Em análise, na Casa da Cultura Mestre José Rodrigues, vão estar “O património arqueológico do Vale do Sabor” e as “Pinturas murais setecentistas no Santuário de Santo Antão e Concelho de Alfândega da Fé”, intervenções da responsabilidade de Paulo Dórdio (Arqueólogo Coordenador do Plano de Salvaguarda do Património do Baixo Sabor) e Joaquim Caetano (Historiador de Arte), respetivamente.

A sessão vai também contar com a presença de D. José Cordeiro, Bispo da Diocese Bragança-Miranda, que vai fazer uma comunicação sobre “ O Santuário de Santo Antão: piedade popular e inculturação da fé”. A passagem por Alfândega da Fé inclui a visita ao Santuário de Santo Antão da Barca, Legoínha, Nossa Senhora de Jerusalém e a algumas estações arqueológicas adjacentes – Cilhades (Picões).

Os interessados em participar nesta 16ª edição das Jornadas Culturais de Balsamão devem fazer a inscrição até ao dia 25 de setembro.

Retirado de www.noticiasdonordeste.com  

Douro é o pulmão da hidroelectricidade em Portugal

O rio Douro é o "pulmão da hidroelectricidade" em Portugal, representando mais de 60% da energia hídrica produzida pela EDP no país, afirmou hoje o director de projecto da Barragem de Foz Tua.




A EDP dispõe, no rio Douro e seus afluentes, de uma potência hídrica instalada da ordem de 2.400 megawatts, dos 4.600 megawatts de potência existentes em todo o país. No Douro são produzidos anualmente cerca de 6.200 gigawatts/hora. Estes valores significam, segundo Freitas da Costa, que aqui são produzidos "60% da energia hídrica do país".

"Daí eu dizer que é o pulmão da hidroelectricidade em Portugal", frisou.

Mas esta capacidade está a ser reforçada com a construção de dois novos empreendimentos, nomeadamente Baixo Sabor e Foz Tua, que vão aumentar a potência hídrica em 424 megawatts. Freitas da Costa falava aos jornalistas à margem de uma visita à Barragem de Foz Tua que está em construção entre os concelhos de Alijó e Carrazeda de Ansiães.

Este empreendimento tem a característica de ser reversível. Ou seja, tem a capacidade de turbinar e produzir electricidade, mas também tem a capacidade de bombear a água de novo para a albufeira.

Isto poderá ser feito nos momentos em que há mais energia disponível na rede, o que acontece mais frequentemente à noite.

Com isto, segundo Freitas da Costa, pode-se aumentar a capacidade de armazenamento de água na albufeira e até se pode ajudar a atenuar as cheias no rio Douro, podendo condicionar os caudais que vão para jusante da Barragem de Foz Tua.

Fonte: Agência Lusa
Retirado de www.noticiasdonordeste.com  

Vimioso: Câmara avança com segunda fase do parque ambiental do concelho

A Câmara de Vimioso iniciou a construção da segunda fase do Parque Ambiental Ibérico Natureza, Turismo e Aventura, que abrange a área do concelho nas margens do rio Angueira.   
"A primeira fase do projeto ficou concluída há cerca de um ano e meio. No entanto, foi necessário fazer uma nova candidatura que só agora viu aprovado o seu financiamento, apesar de contar com um atraso de um ano", avançou o vice-presidente da Câmara de Vimioso, Jorge Fidalgo.
De acordo com a fonte, a segunda fase do parque ambiental vai custar cerca de 980 mil euros, sendo comparticipada a 80% de fundos provenientes do Programa de Valorização Económica de Recursos Endógenos (PROVERE).
"Esta segunda fase de construção do parque integra duas empreitadas, uma referente ao núcleo de receção aos visitantes, sendo que a restante é obra é destinada ao complexo turístico do burro mirandês, local onde haverá um picadeiro, boxes e um centro de asinoterapia", explicou o autarca.
O parque ambiental vai acolher diversas associações de preservação de raças autóctones e do meio ambiente existentes no concelho de Vimioso, em particular, e na região nordestina, em geral.
"O centro de acolhimento a visitantes está orçado em 685 mil euros e centro do burro mirandês vai custar cerca de 300 mil euros", contabilizou Jorge Fidalgo.
Os novos equipamento vão ficar localizados junto à estrada que liga a vila de Vimioso à fronteira luso-espanhola das Três Marras.
Espera-se que o Parque Ambiental Ibérico Natureza, Turismo e Aventura de Vimioso que esteja em pleno funcionamento daqui a um ano.

Retirado de www.rba.pt